quinta-feira, 6 de agosto de 2009

A “nova gripe”

Por Gustavo Miranda.

Manchete em quase todos os jornais e revistas, programas de rádio e televisão, a gripe suína não poderia ficar de fora do nosso blog. Ela é chamada de gripe H1N1, gripe 1 ou “a nova gripe”. Todos os surtos de gripe que passaram pela humanidade, também foram chamados de “nova gripe” na época em que surgiram e hoje não passam de gripes comuns. O porquê de tanto alarde e desespero criado pela mídia talvez tenha suas explicações. Faz menos de um ano do primeiro registro de morte causado pela gripe suína (março desse ano) e já se desenvolveu remédio e até vacina contra ela.

Drogas que se prezam e realizam algum efeito passam por anos de pesquisa, depois mais alguns anos de teste em cobaias. Ao ser aprovado e comercializado, países como o Brasil, ao importar os medicamentos realizam mais testes antes de liberar para a população. Todo esse processo leva cerca de 15, 20 anos. No caso da nova gripe, em menos de um ano desenvolveu-se o remédio chamado Tamiflu, mais rápido ainda desenvolveu-se a vacina contra a doença ambas produzidas nos laboratórios da empresa Roche. Das duas uma: ou os remédios não fazem o efeito esperado, ou a empresa que desenvolveu o remédio também criou o vírus. Não é de se espantar que pessoas que tomaram o Tamiflu na tentativa de prevenir a contaminação pelo vírus apresentaram fortes efeitos colaterais como insônia, pesadelos, diarréia e vômito.

É causa de indignação o porquê de nunca ter se desenvolvido com tamanha rapidez uma vacina contra malária, por exemplo, que mata há muitos anos mais de um milhão de pessoas em todo o mundo. Não vai ser de espantar que mais cedo ou mais tarde se confirme a especulação de que a indústria farmacêutica nada mais é que uma grande máfia super-organizada, cheia de dinheiro e o pior, com apoio de governos e grandes organizações internacionais como a OMS (Organização Mundial de Saúde) que deveria lutar pelo bem estar e saúde da humanidade. Se isso realmente for verdade, essa gripe não passa de mais uma arma de toda essa gentalha para enriquecer cada vez mais seus donos e aqueles que os apóiam.

Por isso, antes de se render aos remédios contra qualquer tipo de gripe, realize as medidas preventivas básicas como lavar as mãos várias vezes ao dia, não compartilhar alimentos, copos, toalhas entre outros objetos pessoais e sempre cobrir a boca quando for tossir e o nariz quando for espirrar com a dobra do cotovelo evitando usar as mãos para não contaminar outras pessoas pelo toque. Caso contaminado por essa gripe ou qualquer outra e estando fora do grupo de risco que são mulheres grávidas e pessoas debilitadas, o remédio é repousar, se alimentar bem e beber bastante líquido.

Um comentário:

Juliana disse...

"A ciência não passa do bom senso exercitado e organizado." (Aldous Huxley)

Nunca, em toda a história da ciência a ética esteve tão evidente como nos dias atuais. Mas, conselhos de ética e bioética não são suficientes para resolver os problemas da sociedade se não existir 'bom senso'!

Quando fui noticiada do primeiro alarde da Gripe Suina (ou Gripe A), logo me veio à mente alguns dados estatísticos importantes de casos de saúde pública no mundo, como por exemplo: AIDS, malária, sarampo, as gripes comuns, etc.
Uma questão interessante, é que essas doenças matam muito mais pessoas por ano do que a Gripe Suína, e ninguém veicula isso.
Falando em empresas farmacêuticas: Ano passado fui notificada de que a 'Roche' parou de investir em pesquisas de medicamentos para a cura da AIDS, sabem por que? Simplesmente porque não interessa mais!!!
O período de patente sobre o coquetel já acabou e agora a empresa não recebe mais exclusividade na produção desses remédios, o que é ótimo, pois diversos países, como o Brasil, pagavam rios de dinheiro para importar o coquetel e agora produzem o próprio.
Mas, como tudo gira em torno do capitalismo, a Roche parou de produzir porque a Aids agora é considerada uma doença não mais lucrativa ou, como eles mesmos disseram: "nenhum dos medicamentos em estudo representa uma melhora significativa sobre os remédios atuais".
Então, deixem as milhares de pessoas no mundo morrerem desse doença, não tem cura mesmo...

Enfim, o interessante (e cômico) é que a gripe suína mata menos do que diarréia no mundo.
Mais curioso ainda é que a divulgação dessa pandemia foi ocorrer justamente na época em que deu aquele bafafá da queda da bolsa nos EUA... Daí a mídia direcionou o foco da atenção mundial para o país "vilão" dessa história: o México!

Poderá também gostar de:

Related Posts with Thumbnails